[Resenha] 'Morte Súbita' de J.K. Rowling

22:02


Essa foi a minha primeira experiência com a J.K. fora de Harry Potter e confesso que não me decepcionei. Dei boas gargalhadas com o livro, não por ele ser engraçado, mas porque eu não estava acostumada com esse tipo de vocabulário e a cada página me surpreendia um pouco mais. 

FICHA TÉCNICA



Título: Morte Súbita
Título Original: The Casual Vacancy
Autor(a): J.K. Rowling
Editora: Nova Fronteira
ISBN: 978.85.209.3253-7
Gênero: Ficção
Ano: 2012
Nº de Páginas: 501

Sinopse: "Quando Barry FairBrother morre inesperadamente aos quarenta e poucos anos, a pequena cidade de Pagford fica em estado de choque. A aparência idílica do vilarejo, com uma praça de paralelepípedos e uma antiga abadia, esconde uma guerra. Ricos em guerra com os pobres, adolescentes em guerra com seus pais, esposas em guerra com os maridos, professores em guerra com os alunos. Pagford não é o que parece ser à primeira vista. A vaga deixada por Barry no conselho da paróquia logo se torna o catalisador para a maior guerra já vivida pelo vilarejo. Quem triunfará em uma eleição repleta de paixão, ambivalência e revelações inesperadas? Com muito humor negro, instigante e constantemente surpreendente, "Morte Súbita" é o primeiro livro para adultos de J.K. Rowling."

O modo como este livro foi escrito me deixou confusa em um primeiro momento, mas somente pelo fato de eu nunca ter lido algo com o mesmo formato. Nada que atrapalhou muito minha leitura, já que rapidamente é possível se familiarizar com cada personagem, conhecer suas principais características e estilo de vida. Nesse livro nós somos contemplados não somente com um ponto de vista da história, mas vários. Cada personagem tem uma forma de lidar com a morte de Barry, acontecimento que podemos classificar como o estopim para todas as demais situações - tragédias - que acontecem. 

Nós conhecemos personagens únicos e diferentes, como Krystal Weedon, que me fez ter muitos sentimentos e opiniões sobre uma pessoa só. No início eu a julgava como todos os outros em Pagford e Fields, mas conforme a história fluiu eu me apeguei à personagem, comecei a entender a história e ver melhor pelo lado dela. Me fez perceber (ainda que eu já soubesse disso) o quanto nós julgamos os outros sem conhecer a história deles. Confesso que ela se tornou a minha personagem favorita, apesar de suas atitudes.


J.K. Rowling traz na sua primeira história para adultos personagens com personalidades distintas que com certeza existem na vida real: a mulher frustrada com seu casamento, o cara que não tem coragem de colocar um ponto final no relacionamento, uma mãe que não sabe lidar com sua filha, jovens que vivem bairros menos favorecidos, pessoas que se importam apenas em fofocar sobre a vida dos outros, etc. Após a morte de Barry inicia-se uma briga no Conselho Distrital cujo foco é a clínica de reabilitação, mais especificamente se ela ficará ou não aberta. 

O livro tem uma pegada bem política, já que Barry era membro do Conselho Distrital e um dos únicos que lutava contra o que a maioria queria: manter a clínica de reabilitação aberta e sendo de responsabilidade de Pagford. Após sua morte podemos ver com mais clareza a disputa por seu cargo e como os interesses políticos e as aparências vão sendo colocados em primeiro lugar. É uma história realista. Há cenas de violência sexual onde a autora consegue nos passar de forma muito realista o modo como a vítima se sentiu; a repulsa, o nojo, o medo, a humilhação. Eu não sabia o que esperar quando comecei a leitura, mas posso afirmar que não me decepcionei. 

Compre o seu: Submarino 

// enjoy it 

Talvez tu curta!

0 comentários